Pesquise neste Blog

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Presidente da Barilla se recusa a usar gays em propagandas e causa polêmica

  Maior fabricante de massas do mundo, o grupo Barilla pode sofrer um boicote de grupos homossexuais após um comentário homofóbico de Guido Barilla, presidente da companhia, durante uma entrevista para o programa italiano La Zanzara, nesta quarta-feira (25). De acordo com Barilla, a empresa jamais usará casais gays em propagandas da marca.
"Eu nunca farei um comercial com uma família homossexual. Se os gays não gostarem, eles podem comer outra marca", afirmou o empresário, que alegou considerar o conceito de família sagrado e uma das bases do grupo controlado por ele. Atualmente, a empresa domina cerca de metade do mercado de massas da Itália e 25% dos Estados Unidos. No Brasil, a empresa começou a fabricar e comercializar seus produtos em junho deste ano. (Aqui é o único lugar do mundo em que as massas Barilla são produzidas com farinha do tipo grano tenro, que deixa o macarrão mais mole, contra o tradicional grano duro, característica principal da marca.)
Guido Barilla, presidente da maior fabricante de massas do mundo
  Apesar de ter dito que não se importa com as escolhas individuais das pessoas, Guido Barilla aumentou a polêmica quando resolveu dar sua opinião sobre a adoção envolvendo casais do mesmo sexo. "Eu não tenho respeito algum pela adoção por famílias gays, pois ela atinge indivíduos incapazes de fazer escolhas", afirmou Barilla.
"Este é mais um exemplo da homofobia italiana. Eu estou me juntando ao boicote e espero que os parlamentares façam o mesmo", afirmou Alessandro Zan, um dos defensores das causas homossexuais na Itália, em entrevista ao site do jornal britânico "The Independent".
Membro do Partido Democrático, o parlamentar Ivan Scalfarotto defendeu o boicote sugerido pelas entidades. "É triste ver um empresário que trabalha e viaja pelo mundo todo fazendo comentários como este. Certamente eu não voltarei a comprar produtos da Barilla", afirmou Scalfarotto. (Pois eu serei consumidor assíduo dos produtos Barilla)<Do Blog>

(O Mais triste é vêr os caras ditos críticos á favor dos Gays, estado Civil? casados)
(Obama por exemplo é casado mais assume ser defensor da causa Gay...Oh Yeee que contraste em Sr. Obama?)

(Todos que formam sua opinião sobre Gays sempre se arrependem ou á Midia Gaysista força á barra)

Nesta quinta-feira, o empresário tentou amenizar a polêmica em uma nota divulgada pela Barilla, onde pede desculpas a todos que tenham se sido ofendidos com seus cometários. "Eu apenas queria sublinhar o papel central da mulher na família", afirmou o presidente da Barilla.

Além das massas produzidas pela Barilla, o boicote poderia atingir mais 20 marcas instaladas na região de Parma, onde a empresa gerida pela família de Guido está instalada desde 1877.


Como á New Order dá indicios de um fracasso total, podem apostar que já implantarão logo, logo
O Estado Federal Popular Gay. Vão cometer o mesmos erros de Ninrode e Semiramis? bem eles podem alegar que agora não haverá problemas de idioma..temos O Google tradutor(he..he). quem sabe o que virá por ai...eu posso chutar uma dica...........melhor não.


Nenhum comentário: