Pesquise neste Blog

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Comercial exclusivo para os expectadores "Alienados Americanos"

Uma tiração de sarro da cara do povão Norte americano...E olha que eles se acham uma super potencia!
Bem aqui no Brasil não é muito diferente.......um pouco pior nem precisa de uma chamada de comercial
Tipos essa do site "HULU" causa principal deste comercial. Portanto assista não custa nada.
Bata no peito e diga grande coisa temos aqui á RUDE GLUBU= REDE GLOBO. Bye




Postado por: ByCappa

O Risco Eminente (Talvez O Google Vete Meu Post)

Olá Pessoas.....! Hoje lhes apresento um livro, vetado pelos mentirosos..enganadores..egoístas
Aqueles que se escodem nas sombras..rastejam como vermes! digo-lhes isso em nível mundial, pois se fosse
A Nível Nacional, qual seria tal alivio para nós, se assim fosse teríamos boas esperanças mais sinto lhes dizer
E com grande pesar....que lá fora paira uma conspiração horrivél, maldita serena e devastadora lenta....
Você vai demorar acreditar que tal...exista ela ronda em várias formas, até mesmo nas músicas(Lady Gaga &
Beyoncé que o diga)Ouve...nos Filmes que você assiste (James Cameron que lhe mostre com seu Avatar)em um Simples alimento, Tudo isso que está ai deriva de uma series de mentiras...engendradas ao longo do tempo.Neste livro saberá quem realmente foi Adolf Hitler e do outro lado do Ring os Judeus talvez você diga
Mais um livrinho....é meu caro amigo! digo a você sinceramente também pensei o mesmo, mais algo me
Atraía a este livro, confesso foi realmente fantástico e por outro lado desapontador vê, os mocinhos em que
Você tanto acreditava como seus hérois....pessoas que se passavam com salvadores da pátria sim..uma
Pátria que nunca existiu, a não ser pra eles próprios, construida e alimentada á Luz das desgraças alheias
Convido a todos despertar leiam este livro, até lá só Deus sabe o que pode acontecer com este blog,
Pois o Google nos dá uma meia, chance de mostrar aquilo que eles..sim os senhores do mundo não querem que saibamos, por isso escavem procurem esse livro.....agora se quiserem dormir mais um pouco em férias
No mundo da Diabolândia Inc, Made in Satan - Assembled In U.S.A (rsrsrs)Fique a vontade aproveite!
Nessa caçada aproveite pra buscar também:

Os Protocolos dos Sábios de Sião    

Alguns Vão dizer a você é imaginação! Será?

 Bem amigos e amigas muito obrigado por entrar aqui no blog!

Até mais segue a Capa do Livro

Postagem de autoria de: ByCappa 

 

Acreditar ou Não.....Eis a Questão!!


Postado por: ByCappa

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

FHC FALA SOBRE TENTAREM VETAR A INTERNET



Durante o Seminário Cultura Liberdade de Imprensa, promovido pela TV Cultura, nesta sexta-feira, o ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, disse que pessoas interessadas em censurar a internet perderão tempo.
"Alguém vai ter a pretensão de controlar a internet? Quem tiver, vai perder tempo. Se incomoda a internet? Eu nem olho o que dizem a meu respeito. Claro que incomoda", disse.

Segundo ele, a própria sociedade vai conseguir distinguir informações confiáveis divulgadas na rede. "A sociedade vai acabar descobrindo um mecanismo de filtragem que não pode ser um filtro oficial. Tem que ser um filtro que vai sendo produzido pela própria sociedade", afirmou explicando que quanto mais competição tiver (na internet), melhor. "E o que vai prevalecer são aqueles meios de comunicação que forem capazes de assegurar uma certa confiabilidade".

Postado por: ByCappa - Fonte video: Terra

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Luiz Mott diz: Pedofilia já! Enquanto ainda estou com tudo em cima...

Aviso: a matéria abaixo, escrita por Jael Savelli, contém trechos altamente obscenos extraídos de sites homossexuais. Por isso, pede-se aos pais que não permitam que seus filhos pequenos leiam a matéria.
Conheça o Lado obscuro e sujo do principal defensor e ativista Gay "LUIZ MOTT"
Texto de Jael Savelli



“Se Deus não existe, então tudo é permitido”. Dostoievski


“Tudo é permitido a quem age a favor da revolução”. Collot d’Herbois


“Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal; que fazem das trevas luz e da luz, trevas; põem o amargo por doce e o doce, por amargo!” Isaias 5:20


“Não vos enganeis, de Deus não se zomba, pois tudo o que o homem semear, isto também ceifará”. (Gálatas 6:7).


Luiz Mott, 61 anos, é decano do Movimento Homossexual no Brasil; fundador do Grupo Gay da Bahia; autor de um artigo em que afirma que Jesus era um sodomita ativo e o evangelista São João, seu amante favorito.


http://www.gaybrasil.com.br/mott.asp?Categoria=Artigos&Codigo=256

Professor Titular do Departamento de Antropologia da UFBa; membro da Comissão Nacional de Aids do Ministério da Saúde - CNAIDS e do Conselho Nacional de Combate à Discriminação do Ministério da Justiça, agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Rio Branco pelo presidente FHC.
http://diversidadetucana.zip.net
Luiz Mott é o mentor e principal articulador do Projeto de Lei 122/2006, a chamada Lei Anti-Homofobia, aguardando aprovação pelo Senado Federal, e de inúmeras leis semelhantes que estão sendo votadas e aprovadas nos estados e municípios da União: “Já há quase 80 municípios que proíbem a discriminação contra os homossexuais. Em São Paulo, além da capital, Cabreúva e São Bernardo do Campo. Lutamos para que seja incluída na Constituição Federal a proibição de discriminar por ‘orientação sexual’, como acontece na Constituição da África do Sul”.
http://br.geocities.com/luizmottbr/entrev13.html
Pesquisando no Google sobre a vida e a obra de tão ilustre cidadão, deparei com um site de pedófilos brasileiros onde há uma indicação com louvores para a leitura da crônica “Meu Moleque Ideal”, de autoria do Professor Luiz Mott.


"Meu Moleque Ideal"


"Elogios de pedófilos ao artigo"


"Pedofilia & Pederastia - O sexo entre Adultos & Jovens"


Descobri que os pedófilos identificam a si mesmos como “homens que amam meninos”. A repulsa que experimentamos diante da idéia de crianças serem atraídas, enganadas e usadas sexualmente por adultos, eles chamam depreciativamente de “pânico moral” ou de “histeria da opinião pública”. O Doutor Luiz Mott provê adiante uma amostra exemplar do que exatamente estes “amantes de ‘moleques’” estão falando ao se referirem a “amor”.


Enfim, Luiz Mott em suas próprias palavras:


“Meu nome é Luiz Roberto de Barros Mott. Nasci em 6 de maio de 1946”.

http://br.geocities.com/luizmottbr/autobio.html

“Eu fui casado cinco anos, tenho duas filhas e sou bichona”.

www.terra.com.br/istoegente/43/reportagens/rep_gays.htm

“No seminário, tanto quanto no noviciado, fui um adolescente marcado pela espiritualidade… Realmente vivia o dia todo pensando em Deus…”

“Ainda tinha um pouco de preocupação cristã na faculdade, mas… Com a leitura de A Ideologia Alemã… e depois estudando antropologia, me dei conta que as minhas verdades absolutas, em termos de cristianismo, eram relativas…”


“Como sentia atração homoerótica… fui vendo como o cristianismo era intolerante, repressor e equivocado em relação a isso. Neste sentido, o materialismo histórico poderia… resolver as minhas angústias existenciais”.
“Com o tempo deixei de acreditar em Deus”.
“Portanto, deixei de ter qualquer tipo de consciência pesada, no que refere a essa forma de relação”.
“Casualmente, encontrei um rapaz numa dessas aventuras noturnas… Na época, eu devia ter uns trinta anos e ele uns dezoito ou dezenove. Este foi um grande encontro!”
“Queria estar apenas com ele, realmente mudar de vida e assumir-me exclusivamente homossexual. Isso após cinco anos de um casamento tranqüilo. Foi um processo extremamente traumático”.
“Na época, minha mulher estava fazendo o mestrado… Ela reagiu negativamente… Isso causou um trauma familiar enorme”.
“Minha ex-mulher mudou para sua cidade natal… Fiquei em Campinas, morando com ele… numa outra casa que comprei. Após um ano de felicidades, notamos que éramos muito diferentes e resolvemos nos separar”.

“Campinas se tornou muito pequena para mim... muito familista. Há muito tempo possuía uma fantasia de viver no nordeste… na Bahia. Era o lugar do Brasil onde me sentia mais desejado sexualmente. Ao mesmo tempo, onde encontrava os parceiros que mais preenchiam minhas fantasias sexuais… sempre gostei de negros”.

“Hoje, após 30 anos de separação, não me arrependo um só minuto desta decisão. Para mim, a homossexualidade foi uma graça!”
“Nos últimos 36 anos de prática homoerótica, calculei que devo ter transado mais ou menos com uns 500 homens diferentes”.

Aviso: É absurdamente obsceno o que vem a seguir. Tem que ter estômago forte para ler. Sinto muito, mas foi necessário incluir aqui estas declarações que o próprio "Luiz Mott" fez.

Considero-me um gay felizardo pois amo e sou amado por um homem maravilhoso que preenche plenamente minhas fantasias e desejos sexuais, afetivos e de companheirismo.





Analisando friamente as razões que levariam dois homens (ou duas mulheres, ou um homem e uma mulher) a viver com exclusividade uma paixão afetiva e erótica, creio que esta fidelidade poderia ser explicada quando menos por uma motivação bastante prática e mesmo oportunista: a dificuldade de encontrar um substituto melhor. Essa regra, constrangedora de ser constatada e verbalizada, parece ser universal: no dia em que a gente encontrar alguém que ofereça mais tesão, amizade e companheirismo do que a transa atual, ninguém é besta de continuar na mesmice em vez de optar pelo que promete ser muito melhor.
No fundo, todos nós, gays (e não gays) alimentamos em nossa imaginação um tipo ideal do homem que gostaríamos de amar e ter do lado. E que nem sempre é igual à nossa paixão atual. O ideal pode ser alto e branco, o real, baixo e preto.
No meu caso, para dizer a verdade, se pudesse escolher livremente, o que eu queria mesmo não era um “homem” e sim um meninão. Um “efebo” do tipo daqueles que os nobres da Grécia antiga diziam que era a coisa mais fofa e gostosa para se amar e foder.

Se nossas leis permitissem, e se os santos e santas me ajudassem, adoraria encontrar um moleque maior de idade mas aparentando 15-16 anos, já com os pentelhos do saco aparecendo, a pica taludinha, não me importava a cor: adoraria se fosse negro como aquele moleque da boca carnuda da novela Terra Nostra; amaria se fosse moreninho miniatura do Xandi; gostaria também se fosse loirinho do tipo Leonardo di Caprio. Queria mesmo um moleque no frescor da juventude, malhadinho, com a voz esganiçada de adolescente em formação. De preferência inexperiente de sexo, melhor ainda se fosse completamente virgem e que descobrisse nos meus braços o gosto inebriante do erotismo. Sonho é sonho, e qual é o problema de querer demais?!
Queria que esse meu príncipezinho encantado fosse apaixonado pela vida, interessado em aprender comigo tudo o que de melhor eu mesmo aprendi nestes 50 e poucos anos de caminhada. Que gostasse de me ouvir, que se encantasse com tudo que sei fazer (desde pudim de leite e construir uma estante de madeira, a cuidar do jardim e navegar na internet), querendo tudo aprender para me superar em todas minhas limitações. Que acordasse de manhã com um sorriso lindo, me chamando de painho, que me fizesse massagem quando a dor na perna atacar. Honesto, carinhoso, alegre e amigo. Que me respondesse sempre ao primeiro chamado, contente de ser minha cara metade.

Quero um moleque fogoso, que fique logo com a pica dura e latejando ao menor toque de minha mão. Que se contorça todo de prazer, de olho fechado, quando lambo seu caralho, devagarinho, da cabeça até o talo. Que fique com o cuzinho piscando, fisgando, se abrindo e fechando, quando massageio delicadamente seu furico. Cuzinho bem limpo, piscando na ponta do dedo molhado com um pouquinho de cuspe é das sensações mais sacanas que um homem pode sentir: o moleque querendo meu cacete, se abrindo, excitado para engolir a manjuba toda. Gostosura assim, só dois homens podem sentir!
Assim é como imagino meu moleque ideal: pode ser machudinho, parrudo, metido a bofe. Pode ser levemente efeminado, manhoso, delicado. Traço os dois! Tendo pica é o que basta: grossa ou fina, grande ou pequena, torta ou reta, tanto faz. Se tiver catinguinha no sovaco, uma delícia! Se for descarado na cama e no começo da transa quiser chupar meu furico, melhor ainda. Sem pudor, sem tabu. Ah, meu menino lindo! Se você existir, se você algum dia me aparecer, que seja logo, pois quero estar ainda com tudo em cima e dar conta do recado, pois do jeito que quero te amar e que vamos foder, vou precisar de muito mocotó ou viagra para dar conta do rojão....".

Declarações de Luiz Mott registradas em Meu Moleque Ideal:
http://br.geocities.com/luizmottbr/cronica6.html


Sonho é sonho qual é o problema de querer demais?!”


Se as minhas pesquisas acadêmicas provam e os meus dados científicos demonstram que…



“Estudos comprovam que ainda no útero o bebê já tem ereção e a teoria de Freud sobre a libido infantil hoje é aceita por todos”…


“O princípio secularmente imposto pelo cristianismo de que o sexo só é permitido após a bênção nupcial, fere um direito humano fundamental, inclusive dos jovens e adolescentes: o direito ao exercício de sua sexualidade e respeito à sua livre orientação sexual”.


“Direito inclusive que têm os jovens em escolher eventualmente um adulto como seu parceiro afetivo e sexual”…
Portanto…

“…que nossas leis sejam mudadas e sobretudo, que se mudem as mentalidades …daqueles que, sob a desculpa de proteger a inocência dos mais jovens, negam o direito inalienável das crianças e adolescentes de terem respeitadas sua livre orientação sexual e sua liberdade sexual”.   Pois…
O que foi bom para bárbaros e gregos deve ser ótimo para crianças, adolescentes e jovens brasileiros:


Inseminação aos primeiros sinais de puberdade com penetração anal por três anos e sexo oral praticado por meninos nos homens e rapazes mais velhos…


“Estudos antropológicos, acerca do comportamento das tribos em Papua (Nova Guiné) e nas ilhas da Melanésia, fornecem dados que evidenciam a atividade homoerótica, com graus de diferenciação, mas pautadas num mesmo princípio: de modo geral, acreditava-se que os meninos não produziam seu esperma naturalmente, daí, surgia a necessidade de inseminá-los aos primeiros sinais de puberdade, num processo de transição da infância para vida adulta”.
“Ao término da infância, todo menino era separado da mãe e retirado da casa das mulheres para dormir na casa dos homens, cabia ao tio materno a penetração anal, pelo período aproximado de três anos, assim, o esperma seria fornecido à criança, juntamente com suas propriedades de força e coragem necessárias à vida adulta”.



“Para os Sambia, que viviam no interior da selva de Papua, o ritual de iniciação tinha um caráter processual: a inseminação ocorria pelo sexo oral, em que, num primeiro estágio, os meninos praticavam nos homens e rapazes mais velhos. Gradualmente, havia uma inversão dos papéis, em que o menino passava ensinar a felação aos iniciados. Ao atingir a maturidade sexual, era realizada uma cerimônia, na qual, já adulto, o menino era incorporado ao grupo dos homens e tornava-se caçador”.


“Na Nova Guiné, entre os baruia, o sexo oral entre os homens de diferentes gerações e status é uma regra social e culturalmente aceita: nesse grupo cultural existe a crença de que a energia vital é transmitida pelo esperma, assim, os homens mais novos e as mulheres devem ser alimentados pelos homens mais velhos com essa energia”.

Grécia Antiga — “entre os atenienses, apenas os homens eram considerados cidadãos e tinham, portanto, direito e acesso ao conhecimento. Era comum e legítimo o relacionamento sexual entre o professor e o aluno, considerado o relacionamento amoroso mais sublime entre dois homens”.


“No Candomblé a sexualidade é entendida como um processo de troca de energias (‘axé’) e para lidar com as divindades é preciso estar cheio dessa energia. Desta forma, em determinados períodos rituais, o ato sexual é proibido sem haver, contudo, interdições referentes à homossexualidade ou à bissexualidade, que são reconhecidas como formas legítimas de vivenciar a sexualidade humana”.


“Uma educação diferenciada... poderá fazer desabrochar em todo o menino, o seu lado feminino e em toda menina, o seu lado masculino. Afinal, as crianças nascem para serem felizes”


Fonte: Guia de Prevenção das DST/Aids e Cidadania para Homossexuais
organizadora: Lilia Rossi Ministério da Saúde Secretaria de Políticas de Saúde
Coordenação Nacional de DST e Aids Setembro 2002


http://www.aids.gov.br/data/documents/storedDocuments/%7BB8EF5DAF-23AE-4891-AD36-1903553A3174%7D/%7BBDD340E2-7A14-4210-B4B9-DD5E8522C088%7D/guia_prevencao_dst_aids_cidadania_homossexuais.pdf


“Se nossas leis permitissem…”

Tentando dissimular o que explicitamente confessa, Luiz Mott refere-se aos seus delírios pedófilos como se fossem meros “sonhos”. Como fosse um cândido poeta, e não o ativista homossexual frio e pragmático que tem conseguido perverter as leis do país fazendo-as convergir para a realização de todos os seus sonhos “homoeróticos”. Sua cobiça é monstruosa e não conhece limites. Provocador, ele desafia: “qual o problema em querer demais?”
Que nossas leis sejam mudadas e sobretudo, que se mudem as mentalidades…”


CONSPIRAÇÕES POR E-MAIL


Entre outros, “o problema” é o uso abusivo que ele faz do aparelho do Estado com o propósito de sujeitar todas as famílias brasileiras aos seus ideais obscenos. As estatísticas mentirosas, forjadas, para exigir tratamento e direitos especiais além dos que são providos ao cidadão comum. O problema são suas conspirações pela legalização da pedofilia. Como a que está registrada em uma troca de e-mail com Leo Mendes, membro da Comissão de articulação dos movimentos sociais do PN/Aids, e com Regina Facchini, antropóloga e vice-presidente da Parada do Orgulho Gay de SP. Trata-se de uma aula prática de engenharia social conforme descrita por Olavo de Carvalho tantas vezes.

No tal e-mail Luiz Mott e Leo Mendes aparecem tentando manobrar Regina Facchini a fim de convencê-la a iniciar e promover o debate sobre legalização da pedofilia junto às ativistas lésbicas. Regina, mais realista que os dois homens, esquiva-se da tarefa alegando que:


“Do ponto de vista da ciência política, sabe-se que independente de usar um termo mais amplo ou mais circunscrito, dificilmente um pedófilo viria a público reivindicar seus direitos ou que o movimento por diversidade sexual o defendesse, simplesmente pq é bastante forte a idéia de que a pedofilia é algo abominável na nossa sociedade”.


A líder lésbica argumenta que ainda é cedo para manobra tão audaciosa. É necessário enfraquecer mais a moral conservadora, ainda predominante no Brasil, antes que a batalha na frente legal/jurídica pela legalização da pedofilia possa ser iniciada. E esta forma de luta está sendo travada através do ativismo político, organizado, nas universidades e através da 'convivência comunitária'. É preciso aguardar que mais e mais formadores de formadores de opinião sejam formados dentro das universidades e saiam em campo formando advinhem “qual” opinião.


“Um termo como diversidade sexual me parece ter por foco combater a idéia de que há apenas uma sexualidade inteligível, a heterossexual reprodutiva que estabelece famílas sólidas e relações duradouras e monogâmicas. Talvez a atuação por esse caminho nas universidades, que são locais de formação de formadores de opinião, melhore as condições para a luta jurídica/legal num futuro próximo”.

Regina aproveita para parabenizar o vaidoso decano por uma 'estratégia genial' muito bem sucedida: os dados falsos sobre assassinatos de homossexuais motivados por 'homofobia'.


“Ainda que não seja o tipo de trabalho que eu faria, reconheço a coleta de dados sobre assassinatos que vc faz como uma estratégia absolutamente genial para vencer a invisibilidade da violência contra homossexuais”.


PEDÓFILOS ASSASSINOS E DIVERSIDADE SEXUAL é o título das mensagens escolhido por Leo Mendes e defendido por Luiz Mott nos seguintes termos:

“Creio que Leo, sempre tão arguto e ‘agent provocateur’, quiz chamar a atenção para tal polemica ao associar diversidade sexual a pedofilia - que no meu entender, é perfeitamente associável, pois diferentemetne de ORIENTAÇÃO SEXUAL, que inclui apenas Homo, Hetero e Bissexualidade, a Diversidade e a LIvre Expressão sexual incluem todas manifestações libidionosas, inclusive as anti-sociais e ilegais”.
O gancho para introduzir a 'provocação' é uma notícia de jornal sobre um nebuloso caso policial ocorrido a cerca de 15 anos — em Altamira, no Pará:

“Meninos, com idade entre 8 e 14 anos, foram seqüestrados e castrados na cidade de Altamira, localizada a 777km de Belém. Segundo o Ministério Público, os crimes que aconteceram entre 1989 e 1993 foram motivados por rituais de magia negra. As crianças encontradas, mortas ou vivas, estavam nuas, algumas com orifícios de arma de fogo, queimaduras de cigarro, olhos arrancados, pulsos cortados, órgãos sexuais extirpados cirurgicamente, sofreram abuso sexual e sevícias”.

http://www.google.com/search?q=meninos+emasculados+parana+&rls=com.microsoft:pt-br:IE-SearchBox&ie=UTF-8&oe=UTF-8&sourceid=ie7&rlz=1I7GGLG


Eis aí, estes auto-denominados defensores dos direitos humanos, como operam nos bastidores. Meninos foram barbaramente abusados até a morte. E tudo o que mereceu a atenção dos ativistas sociais foi a utilidade do “tema” para avançar algumas posições na sua guerrilha moral contra as famílias brasileiras. Sem esboçar a mínima sombra de compaixão ou sequer respeito pela memória das vítimas.

Em público apresentam-se como vítimas da sociedade e como os mais sinceros defensores dos interesses das crianças e dos jovens. Mas, no escurinho da web compartilham sentre si a face sinistra do seu amor por garotos. O que querem mesmo, a qualquer custo, é a permissão e a proteção do estado para poderem perpetrar sua pedofilia, livres de qualquer embaraço.


É importante lembrar que toda esta perversidade começa com grande auto-complacência seguida da escolha de uma ideologia favorável, resultando em mais auto-permissividade e mais reforço 'dialético', em espirais descendentes infernais.


Assim como faz com seus amantes (500 em 36 anos de atividades homoeróticas), Mott selecionou de forma “bastante prática e mesmo oportunista” a divindade a quem iria seguir. Um Deus soberano, criador e legislador do universo, não se enquadrava nos seus planos egocêntricos. Luiz Mott não seria “besta” de permanecer fiel às exigências morais de Deus, quando Karl Marx lhe prometia “um outro mundo possível”. Um mundo feito só de direitos e de nenhum dever em contrapartida. O Criador dos céus e da terra não era mesmo o tipo ideal de deus para Luiz Mott. Pior para quem?


“Como sentia atração homoerótica… fui vendo como o cristianismo era intolerante, repressor e equivocado em relação a isso. Neste sentido, o materialismo histórico poderia… resolver as minhas angústias existenciais". "Com o tempo deixei de acreditar em Deus”.


“Portanto, deixei de ter qualquer tipo de consciência pesada, no que refere a essa forma de relação”.


Um abismo chama outro abismo. Tal é a situação espiritual e mental destes homens e mulheres. Estão mergulhados em densas trevas. Sua própria cobiça enredou-os. Do vale da morte por onde erram só é possível escapar com a intervenção pessoal e direta de Deus. Mas, seria necessário que o perdido fizesse a coisa mais difícil e humilhante que um orgulhoso amante de si mesmo jamais faria livremente: Negar-se a si mesmo e implorar por perdão e ajuda.

Trechos das mensagens trocadas entre Luiz Mott, Leo Mendes e Regina Facchini:

DIVERSIDADE SEXUAL - PEDÓFILO ASSASSINO
Assunto: Re: Re: DIVERSIDADE SEXUAL — PEDÓFILO ASSASSINO p/ MOTT e demais
[Cmi-mulheres] repassando (que nao deve ser repassada) discussao - feminismo, diversidade sexual
isadoralins em riseup.net isadoralins em riseup.net
Sexta Abril 30 20:46:08 PDT 2004
Mensagens classificadas por: [ date ] [ thread ] [ subject ] [ author ]
Gente, Achei tao interessante a discussao q repassei pra cah meio sem pensar.
Agora acho q posso ter feito algo nao muito legal, pq tirei uma discussao do seu contexto, q as pessoas escreveram pra uma outra lista e taquei aqui. Peço encarecidamente que nao repassem por ai. Beijos,Isa.
Estou repassando uma msg da lista gls pra cá. É uma discussao muito boa e ilustrativa dos mais recentes embates dentro do movto. homossexual e feminsita, e acho que o jargao academico tah traduzidinho o suficiente.
--- Em listagls em yahoogrupos.com.br, Luiz Mott <luizmott em u.. escreveu
Regina, como vai querida?
otimo teu questionamento, pois assim voce poderia iniciar uma discussão teórica,
já que és mestra em antropologia, a respeito do termo DIVERSIDADE SEXUAL.
Sugiro também que, se quiseres e puderes, faça o papel de advogada de defesa do termo
LIVRE EXPRESSÃO SEXUAL pois, diferentemetne de ORIENTAÇÃO SEXUAL, que inclui >apenas Homo, Hetero e Bissexualidade, a Diversidade e a Livre Expressão sexual >incluem todas manifestações libidionosas, inclusive as anti-sociais e ilegais.
Estou aberto a discussão e, dialeticamente, a mudar de ponto de vista, desde que os >argumentos sejam sólidos e convincentes, de preferencia, com embasamento bibliográfico.
Está lançada a sugestão. Conto contigo.
Abraço amigo, Luiz Mott
Esta troca de e-mail aconteceu em maio/abril-2004, de fato, pode-se observar que desde então os termos 'diversidade' e 'livre expressão sexual' passaram a ser utilizados maciçamente pelo movimento homossexual e progado pela mídia ad eternum.

Postado por: ByCappa     -     http://juliosevero.blogspot.com/2007/08/luiz-mott-pedofilia-j.html 

Aula Sobre a Lógica "GAY"


Click na imagem exibir tamanho grande
Postado e criado por: ByCapa     -  "O que seria das Consuantes sem as Vogais"

___________________________________________________
Prática homossexual torna-se cada vez mais garantia contra impunidade e descaso policial
Por: Julio Severo


___________________________________________________
Um morto na rua. A polícia cumpriu o seu dever de fazer suas averiguações do crime e comunica o caso ao delegado, que pergunta: “A vítima era gay?”

Quando a resposta é negativa, o delegado diz: “Joguem então esse caso nas estatísticas do mais de 50 mil brasileiros assassinados todos os anos”.
Não é que a polícia seja amante da impunidade. Com dezenas de milhares de assassinatos ocorrendo, fica difícil para poucos policiais mal pagos e mal treinados resolverem tantos crimes. Tudo o que lhes resta é cuidar dos casos que recebem holofotes.
Em 2007, o menino Gabriel Kuhn, de 12 anos, foi estuprado e esquartejado ainda vivo, morrendo de hemorragia depois que suas duas pernas foram arrancadas a golpes de serra, mas o caso nunca ganhou fama na grande imprensa. Um crime comum — estupro, esquartejamento e assassinato de um menino — não atrai tanto a atenção da mídia quanto o caso de um gay que sofre uma agressão.
A moda é, por causa da pressão do movimento homolátrico, tirar da nuvem negra do descaso somente incidentes onde homossexuais sofrem arranhões, agressões e assassinatos — ou até mesmo, como muitas vezes ocorre, aqueles que simplesmente se sentiram ofendidos. O PLC 122/06, por exemplo, pune o autor de uma simples “ofensa” contra a prática homossexual com uma pena tão pesada quanto leva um estuprador de crianças.
Na classificação dos crimes, a prática homossexual dá a uma vítima o direito de não ser tratada com a mesma indiferença com que são tratadas todas as outras vítimas.
A impunidade que afeta crimes contra bebês, meninos, meninas, rapazes, moças, homens e mulheres está perdendo sua força quando a vítima é viciada naqueles impudicos atos privilegiados, pois legisladores, jornalistas e grupos de direitos humanos colocaram os praticantes do homossexualismo na categoria de indivíduos que merecem atenção VIP.
Se você é homossexual, há agora as delegacias especializadas de “direitos humanos”, onde você terá atendimento personalizado. Há o disque-denúncia gay, para você usar e abusar, denunciando como “homofóbico” até o cão do vizinho que incomoda com seus incessantes latidos. Se você não é gay, você terá de se juntar ao povão e entrar na fila do atendimento público. Afinal, o perfil dos gays é economicamente mais elevado e essa classe endinheirada não pode se misturar com as pessoas comuns. Uma mistura só ocorre quando o gay ricão vai atrás de um rapaz ou menino pobretão para oferecer presentes em troca “daquilo”.
Contudo, os homossexuais não são os alvos preferenciais de assassinatos. Se fossem, haveria dezenas de milhares deles perdendo a vida todos os anos. Quem está perdendo a vida aos milhares são os brasileiros comuns que, de 1980 a 2005, sofreram o astronômico e assombroso número de aproximadamente 800 mil assassinatos. Então você pergunta: “Mas como é que nunca ouvi falar disso?” Simples: eles não eram gays.
Nesse mesmo período de 25 anos, 2.511 homossexuais foram assassinados, de acordo com informações do próprio Grupo Gay da Bahia, fundado por Luiz Mott. Esse pequeno número pode incluir também episódios onde a causa do crime é a paixão irracional de um amante da vítima. Além disso, é supervalorizada e supermaquiada a morte de homossexuais que frequentam, às 2h da madrugada, ambientes de drogas, prostituição e criminalidade.
Embora as vítimas homossexuais não cheguem nem a 1% dos 800 mil brasileiros assassinados, elas se tornaram a estrela principal do “show”. É como se os homossexuais é que somassem 800 mil vítimas, e todos os outros brasileiros não passassem de 2 mil assassinados.
Por ano, são assassinados 122 homossexuais, ou 1 a cada três dias, conforme alegação do sr. Luiz Mott. Em contraste marcante, por ano são assassinados 50 mil brasileiros, 414 a cada três dias, ou 138 por dia. Isso significa que o número de brasileiros mortos por dia é maior do que o número total de homossexuais mortos por ano, indicando, nas palavras de Solano Portela, que “a melhor forma de escapar com vida, no Brasil, é virar gay”.
A maioria dos homossexuais assassinados é de travestis, conforme Oswaldo Braga, presidente do Movimento Gay de Minas, que declarou: “São homossexuais que estão mais envolvidos com a criminalidade, como prostituição e tráfico de drogas, ficando mais expostos à violência”. (Tribuna de Minas, 09/03/2007, p. 3.)
Não se sabe o motivo por que travestis e outros homossexuais, que escolhem ambientes de criminalidade e prostituição, não sofrem uma proporção muito maior de assassinatos. Será que a bandidagem agora tem também medo de ser acusada de “homofóbica”?
Certas atitudes do homossexual perturbado (por homossexual queremos dizer o homem que dá ou recebe o pênis no ânus) passaram a fazer parte integral da propaganda que trata como “homocausto” (holocausto de homossexuais) os 122 homossexuais assassinados todos os anos no Brasil. Esse homocausto na verdade soma uma proporção baixíssima que entra em choque com o quadro imenso de todos os outros brasileiros assassinados. Mas a realidade maior é vencida pela realidade pequena à custa daquelas atitudes típicas de gay espalhafatoso, como mentiras, intrigas, estardalhaços e fofocas, sofisticamente mascarados em linguagem de propaganda.
Com a pressão e opressão da Gaystapo na mídia, que chance tem a vasta maioria das vítimas (que são tratadas como cidadãos de quinta categoria) diante das “vítimas de primeira classe”?
A agenda da homolatrina joga a verdade no chão e exalta a homolatria acima de toda e qualquer estatística e realidade social, ganhando no puro estardalhaço.
No entanto, se os homossexuais são realmente 10% da população brasileira, conforme alegam os grupos gays do Brasil, onde estão então os 80 mil homossexuais mortos no período de 25 anos? Se eles são apenas 5%, então onde estão os 40 mil homossexuais mortos? Se eles são apenas 1%, onde estão os 8 mil mortos?
Com todos os holofotes da mídia no pequeno número de vítimas homossexuais, a impunidade só tende a aumentar para todos os brasileiros, pois mais atenção e policiamento para homossexuais significa menos atenção e policiamento para todos os cidadãos.
Os crimes agora só ficarão protegidos de impunidade conforme a homolatria da vítima. O agredido é gay? O culpado será condenado e preso, sem chance de escapar. A vítima não é gay? Então a polícia está ocupada demais para investigar, dando ao culpado a chance de suspirar de alívio. É a ideologização e idiotização do sistema de punição. É a homolatria privilegiando quem presta culto ao ânus.
Quer que um caso de agressão ou assassinato em sua localidade receba atenção da imprensa, dos políticos e da polícia? Numa sociedade mergulhada na homolatrina, só lhe resta alegar que a vítima é gay. No incidente do menino Gabriel Kuhn, que foi estuprado e esquartejado, o caso dele seria lembrado regularmente em todos os canais de TV e no próprio Congresso Nacional — se o esquartejador não fosse homossexual. E há milhares de outros casos de meninos estuprados que não viram notícia na tela da TV Globo ou da TV Record, porque o estuprador é homossexual.
Quando a vítima é homossexual, holofotes. A “causa” do crime é a “homofobia” e ponto final. Cada caso de “homofobia” se torna motivo para campanhas espalhafatosas em favor de leis para proteger depravados de primeira categoria como se fossem vítimas de primeira classe.
Quando o criminoso é homossexual, manipulação, falsificação e ocultamento, protegendo a prática homossexual de toda desonra. A “causa” do crime é um mistério! A culpa é jogada em tudo e em todos, menos na chamada “orientação sexual”.
A agenda da homolatrina garante atenção VIP para vítimas homossexuais e impunidade para homossexuais que cometem insanidades. Luiz Mott, o líder máximo do movimento homossexual brasileiro, é acusado de defender a pedofilia, enquanto o homossexual Denílson Lopes, professor universitário, tem descaradamente defendido o sexo com crianças. Além disso, um filme brasileiro promoveu abertamente o sexo homossexual entre meninos. Em cada um desses casos, as autoridades jamais tomaram qualquer medida. Contudo, se um pastor ou padre dissesse apenas 10% do que Mott e Lopes disseram sobre sexo com crianças, já estariam — e com muita justiça — presos e completamente desmoralizados com denúncias jornalísticas desde a revista Veja até a Rede Globo.
Na violência generalizada que assola a todos no Brasil, a homolatria agora faz toda a diferença na hora de decidir quais vítimas recebem tratamento de estrela de cinema e quais perpetradores obtêm impunidade.
___________________________________________________
Postado por: ByCappa   -  Texto de "Julio Severo"  (http://juliosevero.blogspot.com/)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Prefeito de SP Gilberto Kassab é agredido

O Prefeito de São Paulo Gilberto Kassab foi agredido por um senhor, insatsfeito com as medidas tomadas
Pelo prefeito, quanto apreensão, de mercadoria que segundo ele é ilegal. O prefeito de SP Kassab perde tempo Com essa tal virada esportiva, que na verdade não traz nenhuma vantagem pra população, é pura hipocrisia Como podem vê ai no vídeo, tem aqueles Puxa-Sacos de plantão, Todos com cara de abortados deviam Tomar vergonha na cara e criar bom senso, e começarem a perceber o mar de miséria que esses Políticos, Trazem sobre Nós ao invés de ficarem pagando de bonitinhos, vivem nessa mentalidade mediócre Sem o menor pudor ou vergonha de se expor, ao lado uma figura nada condizente com a moral, envolvido em vários escândulos Assim, Como outros da mesma linha dele.

Postado por: ByCappa

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Coala baleada sofre duas cirurgias

Em homenagem a este animal vitima da falta de bom senso e ausência total de amor a criação de Deus, e em repúdio a brutalidade humana....não querendo aqui dar espaço á hipocrisia pois eventos com estes são cometidos  todos os dias, mundo a fora, todo ser humano que desrespeita a criação de "Deus" de forma brutal, deveria seguir com essa mesma mentalidade, puxando o gatilho em direção a sua própria cabeça Fazendo de si mesmo um exemplo!. Lamentavél   - *Postado por ByCappa


Veterinários do Australia Zoo, em Queensland, já realizaram duas operações para tentar salvar a vida de uma coala atingida por tiros de escopeta.

O bebê fêmea, apelidado de Frodo, foi encontrada na sexta-feira ao lado da mãe, que também tinha sido baleada, mas não resistiu aos ferimentos.
As operações no domingo retiraram quatro das quinze esferas de chumbo alojadas no corpo do animal. A cirurgia teve que ser interrompida porque a coala estava fraca demais.
Autoridades australianas prometeram investigar o caso e levar os responsáveis pelo ataque à cadeia

Postado por: Bycappa                             -                              Fonte noticia: UOL

A Desinformante (Por: Graça Salgueiro)

Porventura Ingrid Betancourt não sabe que Dilma é amiga das FARC através do Foro de São Paulo?

A ex-candidata presidencial da Colômbia e ex-seqüestrada das FARC, Ingrid Betancourt, esteve em princípios deste mês no Brasil para fazer o lançamento de seu último livro, "Não há silêncio que não termine" e, como era de se esperar, foi tratada com muita bajulação, entrevistada em jornais e no programa do Jô Soares. Jô, que além de metido a engraçado é comunista, não perdeu a oportunidade de fazer coro com Ingrid quanto à legitimidade de um movimento guerrilheiro com "ideais" marxistas-leninistas; o que é condenável, para ambos, é apenas o narcotráfico, como se o comunismo não tivesse sido o regime mais sangrento e cruel da história da humanidade.

Ainda nessa entrevista Ingrid mentiu descaradamente quando referiu-se ao seu seqüestro. Ela afirma que o então presidente Pastrana havia retirado suas escoltas deixando-a desamparada a mercê das FARC. Ocorre que o Exército colombiano já a havia alertado dos perigos de ir a San Vicente del Caguán, pois a zona havia sido recentemente retomada pelos militares e ainda poderia haver confrontos com as FARC. Por isso não era possível arriscar a vida de ninguém, nem dela nem de escoltas. Desta advertência há documentos no Exército, datados da época, além da confirmação desta advertência feita por Clara Rojas em seu livro "Cautiva" (Editora Atria Espanhol, inédito no Brasil) mas esta criatura voluntariosa não deu ouvidos e resolveu aventurar-se por conta própria. Em razão deste seqüestro, Ingrid, num gesto repugnante e traiçoeiro, resolveu processar o Estado colombiano por seus seis anos e meio de cativeiro, causando tanto estupor e rechaço nos colombianos que acabou levando-a a retirar a queixa.

Em razão destas atitudes espúrias, Ingrid hoje disputa com a senadora porta-voz das FARC, Piedad Córdoba, e Hugo Chávez, o posto de pessoa mais detestada da Colômbia, conforme nos relata o Cel Villamarín em seu brilhante artigo. Tanto é assim, que seu livro teve lançamento simultâneo na Colômbia e na França mas as vendas em seu país natal, Colômbia, foram boicotadas.

Em entrevista concedida ao G1, Ingrid revelou estar feliz com a vitória de Dilma Rousseff à Presidência do Brasil com "argumentos" fúteis, como pelo fato de ser mulher, mas também demonstrando um completo desconhecimento - ou conivência - do passado da terrorista e dos fatos ocorridos no Brasil nas décadas de 60-80. Disse Ingrid: "Devo confessar que gostei muito (...). Obviamente porque é uma mulher, mas não só por isso, mas porque é ela. (...) É uma pessoa que sofreu na ditadura, e portanto acho que deve valorizar infinitamente os direitos humanos e o valor da democracia". E mais adiante: "Creio que isso, espero, contribua para o distanciamento das FARC. E que finalmente o Brasil entenda que as FARC são um grupo terrorista que está fazendo mal. O mesmo mal que fizeram a ela na ditadura, que fez com que fosse vítima, torturada, é o que estão fazendo, pelos mesmos motivos ideológicos, com o mesmo extremismo, mas de um ponto oposto no espectro político, é o que estão fazendo as FARC (...)".

Esta senhora afronta o Brasil inteiro com tamanha infâmia, ao comparar o terrorismo das FARC com a ação saneadora do nosso Exército Brasileiro contra o terrorismo do qual dona Dilma fazia parte ativa, e não por "defender a democracia" e os "direitos humanos" mas para implantar o comunismo, o mesmo professado pelas FARC, no Brasil. Estas afirmações são tão asquerosas quanto a atitude que dona Ingrid teve em relação aos militares colombianos que a resgataram das garras das FARC, cuspindo-lhes na cara ao agradecer a terceiros seu resgate que foi genuinamente colombiano.

Porventura ela não sabe que Dilma é amiga das FARC através do Foro de São Paulo? O Secretariado do Estado-Maior Central das FARC enviou uma carta de felicitações pela vitória de Dilma nas eleições tratando-a de "compatriota", o que revela uma verdadeira irmandade de almas. Diz a carta: "Permita-nos aderir à justificada alegria do grande povo de Luis Carlos Prestes, ante o fato relevante de ter, pela primeira vez na história do Brasil, uma presidenta, uma mulher ligada sempre à luta pela justiça". E mais adiante: "Estamos seguros de que a nova presidência do Brasil terá um papel determinante na aclimatação da paz regional e na irmandade dos povos do continente".

Durante a campanha presidencial o vice-presidente de Serra tentou, com aquela timidez dos culpados, relacionar a então candidata Dilma e o PT com as FARC. Tiveram incontáveis oportunidades de PROVAR o que estavam afirmando de leve mas preferiram enfiar o rabo entre as pernas porque nunca foram de fato oposição e muito menos de direita. Com a vitória da candidata do Foro de São Paulo as FARC não se contiveram e festejaram entusiasmadas, porque sabem que podem continuar contando com apoio e refúgio em nosso solo pátrio.

Mas as afrontas de dona Ingrid não se restringiram somente ao Brasil mas também à Colômbia e à Venezuela, quando esteve fazendo o lançamento de seu livro naquele país "bolivariano". Entre sorrisos e afagos, Ingrid fez as seguintes declarações que mereceriam um processo como traição à pátria: "O que posso dizer é que considero Chávez um grande líder e um líder democrático, a partir do momento em que foi eleito democraticamente". (...) Chávez "não necessitou matar e seqüestrar para chegar ao poder" (...) "ele tem que ser conseqüente com isso, não pode alentar grupos anti-democráticos".

Não sei se estas afirmações são fruto de uma ignorância extrema, de pura estupidez ou de conivência comunista, mas dona Ingrid "esqueceu" que antes de ganhar as únicas eleições legítimas e limpas, em 1998, Chávez havia dado um golpe de Estado em fevereiro de 1992 que, apesar de fracassado, deixou mais de 100 vítimas fatais, dentre elas crianças. Além disso, o fato de existir eleições não significa absolutamente que o regime seja democrático, uma vez que em Cuba, a ditadura mais antiga e sanguinária do mundo, também há eleições.

E o que dizer dos assassinatos, perseguidos e presos políticos do regime "democrático" de Chávez? E as expropriações sem indenização, onde entre as vítimas encontram-se colombianos, seus compatriotas? E a invasão cubana em todos os setores da vida nacional venezuelana, controlando cada passo dado pelos cidadãos, suas contas bancárias, telefônicas e de internet? E o esbanjamento dos petrodólares com comunistas governos falidos, como os da Bolívia, Equador, Nicarágua, Cuba e Argentina?

Esquece-se esta senhora de que Chávez abriga, defende e tem negócios com bandos terroristas como as FARC, o ELN e o ETA basco? Dona Ingrid: informe-se mais, vá estudar ou cale-se, pois de lobos em pele de cordeiro, de embaixadores das FARC e do Foro de São Paulo espalhando mentiras pelo mundo o continente inteiro já está farto!

Postado por: ByCappa                      -        Fonte: Midia Sem Máscara

Um impactante resumo do governo Lula

O Governo Lula segue em meio á bandalheira sem precendentes, e não será diferente Sob a batuta da maestra Dilma Rousseff, em meio a uma sifônia de escândalos.


Postado por: ByCappa - Inspirado a postar de: Midia Sem Máscara

Luiz Carlos Prates (Recado para pai e mãe)Sobre Pedófilia Entre Padres



Postado por: ByCappa

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Pedagogia da Cinta com Luiz Carlos Prates


Assista neste o Polêmico "Luiz Carlos Prates" Falando de um assunto não menos polêmico, a educação dos Filhos e a administração educativa da famosa Palmadas, entra em cena quando a advertência verbal falha, Assista e tire suas conclusões.



Postado por: ByCappa

Pais que impediram transfusão de filha vão a Júri popular

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) decidiu hoje (18) que devem ir a júri popular os pais da menina de 13 anos que morreu em 1993 por não receber uma transfusão de sangue. O casal Helio Vitoria da Silva e Ildelir Bonfim de Souza é Testemunha de Jeová, seita religiosa que se opõe a esse tipo de procedimento. Um médico, amigo da família, também foi denunciado.


Três dos cinco desembargadores da 9ª Câmara de Direito Criminal do TJSP votaram pela manutenção de sentença de primeira instância dada, em 2006, pela Vara do Júri de São Vicente. Dois magistrados se manifestaram a favor da absolvição do casal.

Segundo o promotor Nicanor Álvares Júnior, responsável pelo caso, os pais da menina e o médico José Augusto Faleiros Diniz não só foram contra a transfusão, mas também ameaçaram processar os médicos caso fizessem o procedimento. O Ministério Público entendeu que eles assumiram a responsabilidade pelo o que ocorresse com a saúde da menina.


Fonte:Da Agência Brasil     Postado por: ByCappa

sábado, 6 de novembro de 2010

Menina dá a Luz aos 10 anos de idade

Menina que mora na Espanha deu a Luz á um menino em Parto natural Assista o Video e tire suas conclusões. 






Eleitores de Iowa chutam para fora juízes a favor do “Casamento” Gay

Por: Peter J. Smith


DES MOINES, Iowa, EUA, 3 de novembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Os habitantes do Estado de Iowa castigaram três juízes do Supremo Tribunal de seu estado na terça-feira por suas decisões que legalizaram o “casamento” de mesmo sexo, votando para que todos os três fossem excluídos de outro mandato de 8 anos.
Os eleitores decidiram votar “não” à permanência do Juiz David L. Baker (54.27 por cento), do Juiz Michael J. Streit (54.41 por cento) e da Juíza Chefe Marsha Ternus (55.04 por cento) em seus cargos no supremo tribunal.
Sob a constituição de Iowa, todos os três deviam ser votados para permanecerem no Supremo Tribunal do estado. Sob uma emenda de 1962 à constituição de Iowa, oito anos depois de serem nomeados os juízes devem passar por eleição a fim de que o povo vote pela permanência deles em seus cargos ou para mandá-los para o olho da rua.
Bob Vander Plaats, ativista conservador e ex-candidato a governador pelo Partido Republicano, liderou a acusação contra os três juízes. Ele argumentou que a votação popular sobre a permanência dos juízes fornece um antidoto para a politização do tribunal, e que o tribunal usurpou a lei estadual ao impor o “casamento” de mesmo sexo.
O Supremo Tribunal de Iowa decidiu por 7 a 0 em 3 de abril de 2009 que a Lei de Defesa do Casamento de Iowa violava as garantias de proteção igual da constituição estadual.
Vander Plaats e sua campanha “Iowa pela Liberdade” visitaram as cidades rurais, argumentando que os juízes não só violaram o papel da assembleia legislativa ao legalizarem o “casamento” de mesmo sexo, mas também o papel do Executivo ao ordenar que os 99 municípios do estado implementassem sua decisão.


Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com  -  Postado por: ByCappa
Traduzido por: Julio Severo

Órgão da ONU promove educação sexual a partir do nascimento

*Aviso aos leitores deste blog como toda notícia, ela tem fundo de verdade e este
Assunto deve ser abordado, com extrema atenção por parte dos pais e mães
Pode-se até pensar...mais isso não vai acontecer....podemos ter certeza que eles querem Mudar o modêlo, de educação pelo que fomos moldados e criar uma
Mentalidade Homosexual, depravada e fantasiada para nossos filhos, sim eles
Vão Introduzir isso sorrateiramente, nas escolas creches, pré-escolas.E é daí que
Vem certos projetos para limitar, e quase extinguir acabar de vez., com os
Blogs, que tanto nos alertam do fanatismo político, que querem se apossar de
Nossos filhos, nos ocupando, fazendo-nos correr atrás de ossos, por isso
É hora de despertar por conta própria...ou seremos por eles por uma forma
Bem desagrádevel!. Opinião do admin do blog   - Segue o artigo.______________________________________________
Por: Dr. Terrence McKeegan


NOVA IORQUE, EUA, 4 de novembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — “Nunca é cedo demais para começar a falar sobre assuntos sexuais para crianças”, diz guia lançado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).
Outrora muito respeitada por sua independência e integridade, a UNESCO agora trabalha em parceria com o Conselho de Educação e Informações sobre Sexualidade dos EUA (cuja sigla em inglês é SIECUS), braço educacional do polêmico Instituto Kinsey.
Em setembro passado, uma torrente de críticas saudou o novo guia da UNESCO sobre educação sexual por promover o aborto legal e masturbação para crianças até de cinco anos. A intensidade das objeções forçou a agência a remover o guia, apenas para de modo discreto relançar um novo guia em dezembro.
A UNESCO reconhece que um ex-diretor do SIECUS é um dos principais autores de seu guia sexual. O guia é citado oficialmente como modelo de educação sexual apropriada conforme a idade num novo relatório da ONU sobre direitos educacionais que foi veementemente denunciado por membros da ONU na semana passada.
A UNESCO removeu alguns trechos que continham linguagem mais explícita no guia revisado, mas manteve um apêndice com “princípios orientadores” que inclui um currículo de educação sexual inspirado por Kinsey para crianças a partir do nascimento até os cinco anos de idade. Esse currículo instrui os pais a dar para crianças novas bonecas com órgãos sexuais para brincarem, informá-las acerca de relacionamentos sexuais diversos e apoiarem a masturbação.
“Se uma criança está tocando a área genital em particular, ignore a conduta”, sugere o currículo. Com relação à identidade de gênero e orientação sexual, o currículo avisa os pais que a insistência em reforçar identidades sexuais tradicionais impedirá o desenvolvimento de seus filhos. “Confusão sobre essas questões e medo da homossexualidade (homofobia) têm feito com que muitos pais e outros adultos limitem o modo como meninas e meninos se expressam”.
Um currículo modelo incluído no guia da UNESCO orienta os instrutores que eles têm de evitar moralizações, pois não há certo e errado no debate sobre valores. Em outro currículo, os autores comentam uma contradição ao tratar de “enfoque e atitudes religiosas ao lidar [sexo] e enfoque e atitudes baseadas em direitos”. Contudo, outro currículo examina o desenvolvimento sexual de crianças novas, observando que desde o nascimento até a idade de dois anos as crianças podem “experimentar prazer genital”, e com a idade de três podem se envolver em “brincadeiras sexuais”.
O infame sexólogo Alfred Kinsey fundou seu instituto na Universidade de Indiana. Kinsey alcançou proeminência nas décadas de 1940 e 1950 por seu trabalho de documentar as condutas sexuais humanas. Os críticos acusaram Kinsey de promover a pedofilia, apontando para suas pesquisas que documentavam adultos fazendo com que crianças e bebês tivessem orgasmo. O Instituto Kinsey criou o SIECUS em 1964 como seu braço educacional. Seu primeiro diretor foi a Dra. Mary Calderone, ex-diretora médica da Federação de Planejamento Familiar [a maior rede de aborto dos EUA].
Um recente relatório do governo revelou que SIECUS recebeu $1,6 milhões de dólares em verbas federais entre 2002 e 2009.
No mês passado, um grupo de trabalho da UNESCO lançou um relatório que pede que a proibição da ONU à clonagem humana seja reavaliada. O grupo propôs que apenas a clonagem terapêutica deva ser proibida, o que permitira apoio para as pesquisas envolvendo outros tipos de clonagem.
___________________________________________________
Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com   - Postado por: ByCappa
Traduzido por - Julio Severo
___________________________________________________Leia na integra as contradições da ONU sobre o direitos da criança e Familia

Convocação Internacional pelos Direitos e pela Dignidade da Pessoa Humana e da Família




Nós, cidadãos dos Estados membros da Organização das Nações Unidas, neste ano do 60.° aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada e proclamada pela Resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948,

Recordando que:
A Declaração Universal é um estandarte comum para todas as pessoas e todas as nações,
Tendo em conta que:
Os direitos humanos, a dignidade, a liberdade, a igualdade, a solidariedade e a justiça, constituem o patrimônio espiritual e moral sobre o qual se baseia a união das Nações,

Indicamos que:
Deve-se dar a devida consideração a:
  
1. O direito à vida de cada ser humano, da concepção até a morte natural, tendo cada criança o direito de ser concebida, nascida e educada no seio de uma família, baseada no matrimônio entre um homem e uma mulher, sendo a família o grupo de unidade natural e fundamental da sociedade,
  
2. O direito de cada criança de ser educada por seus pais, que têm a prioridade e o direito fundamental de escolher o tipo de educação que deve ser dada a seus filhos.

Por isso solicitamos:
A todos os governos interpretar de maneira apropriada a Declaração Universal dos Direitos Humanos, dado que:
Todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal. (Artigo 3)
Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, têm o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. (Artigo 16)
A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e têm o direito à proteção da sociedade e do Estado. (Artigo 16)
  

A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais.
(Artigo 25)
  

Os pais têm o prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos. (Artigo 26)

Eu Heim! Eles fazendo tudo ao contrário e quem são eles promulgar direitos?
A não ser Deus?



quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Ex-lésbica Lisa Miller perde recurso para impedir transferência de Filha para ex-amante Lésbica

Matthew Cullinan Hoffman, correspondente na América Latina

MONTPELIER, Vermont, 2 de novembro de 2010 (Notícias Pró-Família) — A ex-lésbica Lisa Miller perdeu um recurso no Supremo Tribunal de Vermont para anular uma decisão transferindo a custódia de sua filha para sua ex-parceira lésbica.

 De acordo com Rena Lindevaldsen, a advogada de Miller, o tribunal não quis lidar com a questão dos direitos constitucionais de Miller como mãe, e afirmou que a transferência da menina Isabella, que tem oito anos, para a ex-amante lésbica de sua mãe está nos melhores interesses da menina.
“É um desapontamento que depois de sete anos de litigio, que nenhum tribunal em estado algum tenha lidado com os direitos fundamentais de Lisa como mãe”, Lindevaldsen disse para LifeSiteNews. “E do jeito que estamos neste momento, há uma ordem judicial que remove a custódia dela, sendo que nunca se lidou com o direito dela como mãe de criar sua menina”.
Lindevaldsen disse que a assessorial jurídica de Miller está no momento aguardando uma decisão do Supremo Tribunal dos EUA de ouvir um recurso num caso relacionado no Estado da Virginia, onde os tribunais decidiram aceitar uma ordem de transferência de custódia dada em Vermont. Ela acrescentou que se o recurso falhar ou for negado, eles considerarão outro recurso no Supremo Tribunal com base na decisão de hoje em Vermont.
Miller, de 41 anos, concebeu sua filha por meio de inseminação artificial enquanto estava numa união civil em Vermont com sua parceira lésbica Janet Jenkins. Miller diz que deixou Jenkins depois de sofrer maus-tratos nas mãos dela, e logo depois rejeitou o estilo de vida lésbico, voltando à fé em Cristo de sua infância. Depois de anos resistindo visitas ordenadas por tribunais que ela disse estavam provocando danos em sua filha, Miller recebeu ordens de um tribunal de Vermont para transferir a custódia permanente de Isabella para Janet Jenkins no final de 2009.
Entretanto, na época em que a ordem de transferência foi dada, Miller já havia desaparecido com Isabella, que tem agora oito anos de idade. Ninguém sabe nada sobre a localização dela. Um mandado de prisão foi expedido para prendê-la no Estado de Vermont, embora os tribunais da Virgínia tenham até agora se recusado a expedir ali um mandado de prisão.
Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com    - Traduzido por Julio Severo - Postado por: ByCappa   - Leia mais em: Blog "Tempos dificeis"

LEIA NOTICIAS NO BBC BRASIL



terça-feira, 2 de novembro de 2010

Abstenção de 21,5% nas eleições é a maior desde 94



Abstenção e voto dos descontentes sobe no segundo turnoPercentual de eleitores em relação ao eleitorado da época
No domingo, 36 milhões de brasileiros não foram às urnas ou preferiram votar em branco ou nulo. Somente nas duas eleições de Fernando Henrique Cardoso, esse índice foi maior nos últimos anos
Por Eduardo Militão e Mário Coelho (*)
A quantidade de brasileiros que não apareceu para votar no domingo das eleições presidenciais chegou a 29,1 milhões, ou 21,50% dos eleitores, índice só menor do que o registrado em 1994, quando Fernando Henrique Cardoso (PSDB) venceu Lula. A opção de não votar nem em Dilma Roussef, a presidente eleita, nem em José Serra, seu adversário, porém, não deve ser atribuída apenas à ausência, certamente amplificada pela coincidência do pleito com o feriado de hoje (2), Dia de Finados. Quando somados também os cidadãos que compareceram às sessões de votação, mas optaram pelo voto nulo ou em branco, o contingente chega a 36,6 milhões de pessoas, e representa 26,76% do eleitorado, a maior marca desde 1998, quando FHC bateu Lula novamente.
Para o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, o feriado prolongado pesou no aumento da abstenção. O cientista político Alexandre Barros cita a insatisfação de eleitores de Marina Silva (PV) como motivo para a quantidade de descontentes. Barros diz que a boa situação econômica e as semelhanças entre Dilma e Serra fizeram muita gente descansar em vez de votar. Ele não vê a abstenção como problema, mas como percepção de que o voto é um direito, e não um dever.
Os 36,3 milhões de brasileiros que não escolheram nem Dilma Rousseff nem José Serra seriam suficientes para mudar o resultado das eleições. Isso porque a soma de descontentes e indiferentes supera em três vezes a diferença entre a petista e o tucano, que foi de 12 milhões a favor de Dilma, a primeira mulher eleita presidente do Brasil. Para Alexandre Barros, porém, essa é uma matemática simplista. Ninguém tem condições de saber como votariam os que se abstiveram se resolvessem escolher um dos dois candidatos que disputaram o segundo turno. “Essa é a pergunta que não adianta fazer, porque ninguém tem a resposta”, diz o consultor político Alexandre Barros.
Levantamento do Congresso em Foco baseado em informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que a média de não-comparecimento às urnas somada à insatisfação pelo voto nulo ou em branco é de 26,79% entre 1994 e 2010. Ou seja: o percentual destas eleições coincide com essa média.
O índice de abstenção no segundo turno da disputa presidencial também foi maior do que na primeira rodada. Se no domingo passado, deixaram de votar 29,1 milhões, no primeiro turno, foram 24,6 milhões, ou 18,1%. Só no dia 31, outros 7,1 milhões de brasileiros preferiram apertar o botão “branco” da urna ou anular o voto, digitando um número inexistente.
“Um contingente grande do eleitorado brasileiro parece ter se cansado dessa polarização entre PT e PSDB”, observa o cientista político José Luciano Dias. “A votação de Marina foi o primeiro reflexo disso. A opção de não votar no segundo turno também”, conclui.
De fato, o percentual dos que não votam parece oscilar de acordo com a certeza que o eleitorado demonstra quanto às boas possibilidades percebidas por trás das candidaturas em disputa. Os dados do TSE mostram que o contingente de brasileiros indiferentes ou descontentes com as eleições vinha caindo entre 2002 e 2006. Foram os anos em que a maior parte do eleitorado encontrou em Lula o desaguadouro das suas aspirações. Em 2002, numa consideração de que ele e o PT fariam um governo que respeitaria a ética na política e combateria a corrupção. Em 2006, muitos dos que assim pensavam estavam decepcionados, por conta de episódios como o mensalão. Mas Lula compensara esse fato trazendo para si a nova classe média que emergia com sua política social. Agora, o percentual dos que não se julgavam representados nem por Dilma nem por Serra voltou a subir.

A soma da abstenção com os votos brancos e nulos era de 32% em 1994, subiu para 36% em 98 e caiu até 24% no segundo turno de 2006. No primeiro turno deste ano, foi para 25%. E agora, alcançou os 27%, mesmo índice da média dos últimos 16 anos e o maior valor desde 1998.
Já a abstenção sozinha vem oscilando durante esse período. Chegou a 29% em 1994 e, neste segundo turno, a 21,5%, o maior índice desde então. A média histórica mostra a abstenção média de 19,70% nos últimos 16 anos.
Veja a tabela completa
A diferença entre a abstenção no primeiro e no segundo turno destas eleições foi de 4,5 milhões. É como se quase todo o eleitorado do Pará (4,7 milhões) deixasse de votar de uma vez só. O Pará foi o estado que teve a maior abstenção – 26,79% ou 1,27 milhões de eleitores.
A soma da abstenção com o número de brancos e nulos também subiu entre o primeiro e o segundo turno. Passou de 34,2 milhões para 36,3 milhões de eleitores.
Fonte: Congresso em foco     -  Postado por: ByCappa