Pesquise neste Blog

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Mito 4: DEUS É UMA TRINDADE

Qual é a origem do mito? “Poderia dar-se a impressão de que o dogma da Trindade é, em última análise, uma invenção do final do quarto século. Em certo sentido, isso é verdade . . . A formulação de ‘um só Deus em três pessoas’ não foi solidamente estabelecida, por certo não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do quarto século.” — New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica, 1967), volume 14, página 299.
“O Concílio de Nicéia se reuniu em 20 de maio de 325 [EC]. O próprio Constantino presidiu, ativamente orientando as discussões, e ele propôs pessoalmente . . . o preceito crucial, que expressa a relação de Cristo para com Deus no credo instituído pelo concílio, ‘de uma só substância com o Pai’. . . . Intimidados diante do imperador, os bispos, com apenas duas exceções, assinaram o credo, muitos deles bem contra a sua inclinação pessoal.” — Encyclopædia Britannica (1970), volume 6, página 386.
O que a Bíblia diz? “Estêvão, porém, repleto do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus, e Jesus, de pé, à direita de Deus. E disse: ‘Eu vejo os céus abertos, e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus.’” — Atos 7:55, 56, Bíblia de Jerusalém.
O que essa visão revela? Cheio da força ativa de Deus, Estevão viu Jesus “de pé, à direita de Deus”. Assim, fica claro que após ter sido ressuscitado e ido para o céu, Jesus não se tornou Deus, mas sim uma pessoa espiritual distinta. Esse relato não menciona uma terceira pessoa ao lado de Deus. Apesar de alguns tentarem achar passagens nas Escrituras para apoiar a doutrina da Trindade, o padre dominicano Marie-Émile Boismard escreveu o seguinte em seu livro À l’aube du christianisme—La naissance des dogmes (Na Aurora do Cristianismo — o Nascimento dos Dogmas): “A declaração de que há três pessoas em um só Deus . . . não pode ser encontrada em lugar nenhum do Novo Testamento.”
O dogma promovido por Constantino tinha por objetivo pôr fim às divergências na Igreja do quarto século. No entanto, acabou por levantar outra questão: Será que Maria, a mulher que deu à luz a Jesus, é “a Mãe de Deus”?

Fonte: WatchTower   - Posatdo por: ByCappa

Nenhum comentário: