Pesquise neste Blog

terça-feira, 2 de novembro de 2010

As superstições controlam sua vida?

HÁ SUPERSTIÇÕES no mundo todo. Às vezes, são prezadas como parte da herança cultural. Ou podem ser consideradas uma curiosidade trivial, que dá sabor à vida. No Ocidente, as superstições geralmente não são levadas muito a sério. Em outros lugares, como na África, por exemplo, as superstições podem influenciar seriamente a vida das pessoas.
Grande parte da cultura africana baseia-se na superstição. Publicações, filmes e programas de rádio produzidos na África muitas vezes destacam superstições e assuntos místicos, como magia, culto aos antepassados e amuletos. Onde se originaram as superstições e por que as pessoas são tão influenciadas por elas?

O que há por trás das superstições?

 Muitas superstições se devem basicamente ao medo dos espíritos dos mortos ou de qualquer espírito. Certos acontecimentos são interpretados como esforços desses espíritos para contatar os vivos por meio de uma ameaça, um aviso ou uma graça.

 

  • Fincar hashi* numa tigela de arroz é sinal de morte
  • Ver uma coruja durante o dia dá azar
  • Quando uma vela se apaga durante uma cerimônia é sinal de que espíritos malignos estão por perto
  • Deixar cair uma sombrinha ou um guarda-chuva significa que ocorrerá um assassinato na casa
  • Colocar o chapéu sobre a cama dá azar
  • O badalar de sinos espanta os demônios
  • Apagar todas as velas do bolo de aniversário na primeira tentativa significa que o desejo da pessoa vai se realizar
  • Deixar uma vassoura encostada na cama permite que os espíritos maus na vassoura lancem um feitiço na cama
  • Gato preto que cruza o caminho dá azar
  • Deixar cair um garfo indica que a pessoa receberá a visita de um homem
  • Colocar uma fotografia de elefantes de frente para a porta dá sorte
  • Pendurar uma ferradura acima da porta dá sorte
  • Deixar uma trepadeira subir nas paredes da casa protege contra o mal
  • Passar debaixo de escada dá azar
  • Quebrar um espelho dá sete anos de azar
  • Derramar pimenta-do-reino significa que terá uma discussão com seu melhor amigo
  • Derramar sal dá azar a menos que se jogue uma pitada sobre o ombro esquerdo
  • Deixar uma cadeira de balanço balançar sozinha é um convite para os demônios se sentarem nela
  • Deixar sapatos virados de sola para cima dá azar
  • Quando alguém morre, as janelas devem ser abertas para a alma poder sair
  • *Hashi - Palitos de madeira ou bambu que os orientais usam para levar o
  • Alimento a boca.
As superstições também são muito associadas às curas e à medicina. Para a maioria da população dos países em desenvolvimento, a medicina moderna é muito cara e muitas vezes simplesmente não está ao seu alcance. Por isso, muitos procuram obter curas ou tentam tomar medidas preventivas recorrendo a costumes associados com seus ancestrais, espiritismo e superstições. Há também o fato de se sentirem mais à vontade com um curandeiro que conhece seus costumes e fala seu dialeto do que com um médico profissional. Desse modo, perpetuam-se as crenças supersticiosas.
As tradições supersticiosas sustentam a idéia de que as doenças e os acidentes não são coisas que acontecem por acaso, mas sim obras das forças do mundo espiritual. Os curandeiros podem dizer que um ancestral falecido está infeliz com alguma coisa. Ou médiuns espíritas talvez sugiram que a pessoa ficou doente ou se acidentou porque foi enfeitiçada por um curandeiro rival a pedido de alguém.
As superstições variam muito de um lugar para outro e sua propagação depende do folclore, das lendas e das circunstâncias locais. Mas o denominador comum entre todas elas é a crença que alguém, ou algo, do mundo espiritual precisa ser apaziguado.

Inofensivas ou perigosas?

Para a maioria das famílias, o nascimento de gêmeos é um acontecimento excepcional e emocionante. Para os supersticiosos, porém, isso pode ser interpretado como um sinal. Em algumas regiões da África Ocidental, muitos o encaram como o nascimento de deidades, e os gêmeos são venerados. Caso um ou ambos os gêmeos morram, fazem-se pequenas estátuas deles, e a família deve oferecer alimentos a esses ídolos. Em outras partes, o nascimento de gêmeos é encarado como uma maldição, chegando a ponto de alguns pais matarem pelo menos uma das crianças. Por quê? Eles acreditam que se as duas crianças sobreviverem, um dia elas matarão seus pais.
Exemplos como esses mostram que embora algumas superstições possam parecer interessantes e inofensivas, outras podem ser perigosas e até mortíferas. Quando interpretado de maneira sinistra, um acontecimento inofensivo pode ser transformado numa questão perigosa.
Isso deixa claro que, na realidade, a superstição é uma crença, uma forma de religião. Devido aos seus aspectos perigosos, é importante perguntar: ‘Na verdade, quem se beneficia das crenças e práticas supersticiosas?’



A origem das superstições

Apesar das evidências em contrário, alguns tendem a negar a existência de Satanás ou dos espíritos perversos. Contudo, recusar-se a reconhecer a existência de um inimigo perigoso em tempos de guerra só pode ser desastroso. O mesmo pode acontecer num conflito com criaturas espirituais sobre-humanas, porque o apóstolo Paulo escreveu: “Temos uma pugna . . . contra as forças espirituais iníquas.” — Efésios 6:12.
Embora não possamos vê-las, as criaturas espirituais do mal realmente existem. A Bíblia relata que uma criatura espiritual invisível usou uma serpente — assim como um ventríloquo usa um boneco — para se comunicar com a primeira mulher, Eva, e a induziu a rebelar-se contra Deus. (Gênesis 3:1-5) A Bíblia identifica essa pessoa espiritual como “a serpente original, o chamado Diabo e Satanás, que está desencaminhando toda a terra habitada”. (Revelação [Apocalipse] 12:9) Essa criatura, Satanás, conseguiu induzir outros anjos à rebelião. (Judas 6) Esses anjos perversos tornaram-se demônios, inimigos de Deus.
Jesus e seus discípulos expulsavam demônios das pessoas. (Marcos 1:34; Atos 16:18) Esses espíritos não são ancestrais mortos, pois os mortos “não estão cônscios de absolutamente nada”. (Eclesiastes 9:5) Em vez disso, são aqueles anjos rebeldes que foram desencaminhados por Satanás. Contatar esses espíritos ou submeter-se à sua influência é um assunto muito sério porque, assim como seu líder — Satanás, o Diabo —, eles gostariam de nos devorar. (1 Pedro 5:8) Seu objetivo é desviar-nos da única esperança para a humanidade — o Reino de Deus.
A Bíblia revela um dos métodos usados por Satanás e seus demônios: “Satanás persiste em transformar-se em anjo de luz.” (2 Coríntios 11:14) Satanás gostaria de nos fazer acreditar que ele pode oferecer-nos um modo de vida melhor. Por causa disso talvez pareça que alguns benefícios temporários se devem à intervenção de espíritos maus. Mas eles não podem nos oferecer soluções permanentes. (2 Pedro 2:4) Nem mesmo têm o poder de dar vida eterna a alguém, e logo serão destruídos. (Romanos 16:20) Nosso Criador é a única fonte da vida eterna e da verdadeira felicidade, e a melhor proteção que se pode ter contra as forças espirituais do mal. — Tiago 4:7.
Deus condena buscar ajuda por meio de práticas espíritas. (Deuteronômio 18:10-12; 2 Reis 21:6) Isso é flertar com o inimigo, fazer um acordo com os traidores de Deus. Consultar horóscopo, curandeiros, ou envolver-se, mesmo que superficialmente, em quaisquer práticas supersticiosas significa permitir que os espíritos do mal controlem sua vida. Isso é o mesmo que se juntar a eles na rebelião contra Deus.

É possível proteger-se do mal?

Ade,* que mora no Níger, estava estudando a Bíblia em tempo integral. Ele explica ao porque que tinha um talismã em seu estabelecimento comercial: “Existem muitos inimigos.” Ele mediante o estudo da Bíblia aprendeu que Jeová é o único em quem podemos confiar para obter verdadeira proteção, e leu o Salmo 34:7, que diz: “O anjo de Jeová acampa-se ao redor dos que o temem, e ele os socorre.” Ade concluiu: “Se Jeová pode realmente me proteger, então vou dar fim ao talismã.” Já faz muitos anos que isso aconteceu e Ade serve atualmente como ancião e ministro de tempo integral. Nenhum de seus inimigos o tem prejudicado.
A Bíblia mostra que o tempo e os imprevistos sobrevêm a todos nós, quer sejamos supersticiosos quer não. (Eclesiastes 9:11) Contudo, Jeová nunca usa coisas más para nos provar. (Tiago 1:13) A morte e a imperfeição se devem ao pecado que herdamos de Adão. (Romanos 5:12) Por isso, todas as pessoas ficam doentes de vez em quando e cometem erros que podem gerar conseqüências calamitosas. Assim, seria errado dizer que todas as doenças ou todos os reveses da vida são obra dos espíritos maus. Acreditar nisso somente nos faria ficar tentados a procurar apaziguar os espíritos de alguma maneira. Quando ficamos doentes, devemos procurar cuidados médicos adequados, e não buscar conselhos do ‘mentiroso e pai da mentira’, Satanás, o Diabo. (João 8:44) As estatísticas mostram que nos países onde predominam as superstições relacionadas aos ancestrais, as pessoas não vivem mais nem melhor do que os habitantes de outros países. Isso deixa claro que as superstições não são de nenhum benefício para a saúde.
Deus é mais poderoso do que qualquer espírito do mal, e está interessado em nosso bem-estar. “Os olhos de Jeová estão sobre os justos e os seus ouvidos estão atentos às súplicas deles.” (1 Pedro 3:12) Ore a Jeová para obter proteção e sabedoria. (Provérbios 15:29; 18:10) Esforce-se para entender a sua Palavra Sagrada, a Bíblia. O conhecimento exato da Bíblia é a melhor proteção que podemos ter. Ele nos ajuda a entender por que coisas ruins acontecem e como ganhar o favor do Deus Todo-Poderoso.

Benefícios de se obter o conhecimento de Deus

O conhecimento exato a respeito de Jeová Deus e de seus propósitos — o oposto da ignorância e da superstição — é a chave para se obter verdadeira proteção. Isso pode ser visto no caso de Jean, de Benin. A família dele seguia rigorosamente as superstições. De acordo com os costumes tribais supersticiosos, a mulher que desse à luz um menino teria de passar nove dias numa cabana construída especialmente para isso. Se desse à luz uma menina, ficaria confinada na cabana por sete dias.
Em 1975, sua esposa deu à luz um belo garotinho, a quem deram o nome de Marc. Com base em seu conhecimento bíblico, o casal decidiu que não queria ter nada a ver com espíritos do mal. Mas cederiam ao medo e à pressão para seguir a superstição e acabariam permitindo que a mãe fosse confinada na cabana? Não, eles se recusaram a agir de acordo com a superstição tribal. — Romanos 6:16; 2 Coríntios 6:14, 15.
Será que aconteceu algo de mau à família de Jean? Muitos anos já se passaram, e atualmente Jean e família toda está feliz por não ter permitido que a superstição influenciasse sua vida e colocasse em risco seu bem-estar espiritual. — 1 Coríntios 10:21, 22.
Os verdadeiros cristãos devem manter-se totalmente afastados das práticas obscuras da superstição e aceitar a luz espiritual oferecida pelo Criador, Jeová, e seu Filho, Jesus Cristo. Desse modo, podem ter a verdadeira paz mental por saberem que estão fazendo o que é correto aos olhos de Deus. — João 8:32.

Fonte: watchtower.org      - Postado por: ByCappa

Nenhum comentário: